GRUPO CHÃO DE TEATRO

 

Jade Percassi, em Procura-se uma Rosa, de Vinicius de Moraes. Primeira encenação de Frederico Foroni

 

Grupo Chão de Teatro – direção de Frederico Foroni

A produção do Grupo Chão vem mantendo seu interesse pela adaptação de obras literárias e pelo intenso trabalho com textos poéticos, o que põe em foco o interesse pela alma humana e toda investigação artística que diga respeito a este universo.

Sua história começou com a realização de dois espetáculos, idealizados e dirigidos por Frederico Foroni. Em 1999, Procura-se uma Rosa, de Vinícius de Moraes. E em 2000, A Bicicleta do Condenado, de Fernando Arrabal, primeira incursão pela “estética do absurdo”, em parceria com o Grupo CincoIncena. Cada uma das peças cumpriram mais de um ano de apresentações em temporadas pela cidade de São Paulo e viagens pelo estado.

Amadurecido com estas experiências, o grupo foi fundado em 2002 por Frederico, realizando uma adaptação literária, Chão de Barros. A peça concatenava poemas do poeta mato-grossense Manoel de Barros de forma a contar sua vida e obra, foi montada para palco e, além de empreender temporada na capital, viajou para cidades do interior do estado de São Paulo e dos estados de Matogrosso do Sul, Minas Gerais.

Em 2006 realizou, em parceria com o Núcleo Arquipélago, a adaptação para teatro do texto Carta ao Pai, de Franz Kafka, com direção e dramaturgização de Antônio Januzelli, peça em que Frederico participou como ator, no personagem de Kafka.

Ao longo desses anos, alguns profissionais estiveram de passagem pelo Grupo, mas estabeleceram-se algumas parcerias sólidas que se mantiveram. É o caso do músico e compositor Marcus Siqueira, que cria as trilhas musicais dos espetáculos desde A Bicicleta do Condenado, de 2000. Já a parceria da cenógrafa e figurinista Carolina Bassi vem de menos tempo, iniciando trabalhos conjuntos de cenografia com Frederico fora do Grupo Chão a partir de 2005, quando Frederico dirigiu o espetáculo “Escombros”, da Cia. dos Gansos. Integrou a equipe em 2009 com a realização de Ruas de Barros.

Ruas de Barros é o trabalho mais recente do grupo, uma adaptação para Teatro de Rua do espetáculo Chão de Barros. Para ele foi desenvolvida nova dramaturgização dos poemas de Manoel de Barros passando pela vida do poeta, seus personagens e seu fazer poético. O grupo apresentou a peça em diversos parques da capital paulista e viajou por várias cidades do estado de São Paulo, Matogrosso do Sul, Paraná e Minas Gerais, em 2009 e 2013.

O desejo, agora, é de encenar a obra Fando e Lis, de Fernando Arrabal; sonho antigo e partilhado pelos integrantes e por parceiros do grupo que se mantêm no intuito de trabalhar com obras poéticas e dar-lhes vida – com a participação de atores cuja parceria vem dos primeiros projetos, como Roberto Leite (Chão de Barros), e a de outros, cuja parceria é mais recente, como Paulo Williams e Antônia Mattos (Ruas de Barros).

 

 Prêmios:

RUAS DE BARROS:

Editais: ProaC de Difusão Literária 2009 e Teatro nos Parques 2010 Oi Futuro;

Festival Nacional de Ponta Grossa 2009: Prêmio Especial do Júri pela Criação Musical;

Querido Pai (parceria com Núcleo Arquipélago): Contemplado com o Prêmio Funarte-Petrobrás e Montagem Teatral 2006.

ESCOMBROS (parceria com Cia. dos Gansos):

Festival de Pindamonhangaba – SP – 2005: Melhor Espetáculo e Melhor direção.

CHÃO DE BARROS:

Festival Nacional de Teatro de Americana – SP – 2002: Melhor Iluminação (Foroni), Melhor Cenografia (Foroni), e Melhor Sonoplastia. Indicações de Melhor Direção e Melhor Espetáculo.

Festival de Pindamonhangaba – SP – 2001: Melhor Iluminação. Indicações de Melhor Direção, Cenografia e Pesquisa para Foroni.

A BICICLETA DO CONDENADO (parceria com Grupo CincoIncena):

Festival Nacional de Teatro de Florianópolis – SP – 2002: Melhor Maquiagem;

Festival Nacional de Teatro de Presidente Prudente – SP – 2001: Melhor Iluminação e Melhor Cenografia.

 

ÁLBUM DE FOTOS

Informações:

Celular/Whatsapp: 11 – 9-8383-9077

grupochao.teatro@gmail.com